Cromeu
Roda de sonhos
CapaCapa
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Textos

Apenas uma farsa
 
Hoje tempo sombrio, ferino, tudo quase bem encaixado
Autoridade superior levanta na marra a amassada lona
Arma o circo, cria zona, inventa mil intrusos embaraços
Hasteia para os céus que o cara não presta, e aí, hora pra festa.
 
Foge da avenida o som onde a língua emudecida sem dó
Causa impressão infinita no doloroso manifesto espírito
O sangue escorre na boca veneno ordinário, estigmatizado
Arranca do coração o torturado abraço amarrado sem penhor.
 
Amanhã toda essa sanha será indagada dessa assombrosa mentira
Só resta encarar ou então quem sabe em outros empíreos me ocultar
Há a mente encurtada que com a alma alicia o momento desse sofrimento
Sem desespero, vou juntando os trapos e sigo com o grito refreado, proibido.
 
Apesar de me tirar o sono, nos sonhos me vejo num amanhã cheio de luzes
Além disso, não estou liquidado, ainda possa ver o céu limpo de cor azul
Vai ter de me aturar não importa o ambiente, pode à vontade me nulificar
Tudo passará, você vai se enrascar quando tiver que explicar toda essa manha

 
Cromeu
Enviado por Cromeu em 07/02/2018
Alterado em 11/08/2018
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras