Cromeu
Roda de sonhos
CapaCapa
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Textos

Grande poeta Chico
 
Oh, estão querendo a muito te derrubar meu poeta
Não esquente, não fuja, não invente nada diferente
Mas, também, não entre nessa onda espalhada banalidade
Cumpra a sua parte: argüi a cabeça com belos pensamentos.

Quanta pena, umas tristes cabeças dispersas de raios luminosos
Tentam querer invadir o espaço visionado, aos sonhos do poeta
Ainda bem, que existem os seus pensamentos: invioláveis, infindo. 
 
Oh, quanta inveja, existe dentro de coração agoniado!
Ainda ontem, nota-se, a dificuldade de amor ao próximo
A auto-estima desinformada por todos os cantos fere até a alma.
 
Qual o problema de ser distinto dos seus pensamentos?
Quem tem “telhado de vidro não joga pedra no do vizinho”
Será que ainda lembra o que sonhava ou de como vivia no passado?
Insisto meu vate, deixa pra lá, o que guarda na sua insolúvel cabeça
Tem muito ainda, de sabedoria a dar, a emprestar e a sonhar.

 
Cromeu
Enviado por Cromeu em 11/10/2016
Copyright © 2016. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras